terça-feira, 16 de julho de 2013

Como a planta carnivora Dioneia digere uma presa

por Ann Meeker-O'Connell - traduzido por HowStuffWorks Brasil *
Fonte: http://ciencia.hsw.uol.com.br


Assim que a armadilha da planta carnivora Dionaea muscipula captura sua presa e se fecha totalmente, as folhas formam uma câmara estanque, de maneira que:
  • os fluidos digestivos e as partes do inseto sejam mantidas dentro da armadilha
  • bactérias e mofo não entrem
Para garantir que os insetos fiquem presos dentro da armadilha, as bordas das folhas possuem cílios parecidos com dedos que se enlaçam quando as folhas se fecham. Essas projeções longas e parecidas com pelos fazem com que a planta pareça ter dentes pontudos; mas, na realidade, os cílios são usados somente para trancar a armadilha.
Há um limite máximo para o tamanho do inseto que a armadilha pode acomodar. Em sua maioria, as armadilhas têm 2,5 cm de comprimento e, idealmente, um inseto deve ter cerca de um terço desse tamanho. Se um inseto for muito grande, a armadilha não conseguirá criar uma vedação estanque o suficiente para manter bactérias e mofo de fora. Assim que bactérias e mofo entrarem, eles podem se proliferar enquanto se banqueteiam com o inseto em decomposição e as folhas da armadilha também sucumbirão. A armadilha muda de cor para preto à medida que as folhas apodrecem, e eventualmente cairão da planta.
A dioneia pode tolerar a perda de uma armadilha aqui e ali porque consegue fazer brotar novas. Da mesma forma que um fabricante de produtos domésticos, a natureza projetou as armadilhas com obsolescência planejada. Após cerca de 10 a 12 fechamentos (parcial ou total), as armadilhas perdem a capacidade de captura. As folhas continuam abertas e, em vez de passar pelo ritual de atrair insetos e devorá-los, as armadilhas mais velhas dedicam suas energias para o processo de fotossíntese durante o restante de suas vidas, normalmente entre 2 e 3 meses. Dessa forma, se a armadilha for estimulada repetidamente por objetos não comestíveis, a planta pode recuperar parte da energia e ATP perdidos na abertura e fechamento da armadilha nesse tempo, focando somente na fotossíntese.
Mas, voltando ao jantar, assim que o inseto estiver firmemente aprisionado na armadilha, o processo de digestão pode começar. Agora a armadilha serve como uma miniatura de estômago. Da mesma maneira que com outros estômagos, a armadilha segrega sucos digestivos ácidos que:
  1. dissolvem os tecidos macios e membranas celulares da comida;
  2. servem como anti-séptico para pequenas quantidades de bactérias que tenham entrado inadvertidamente na comida;
  3. digerem, com enzimas, DNA, aminoácidos e outras moléculas celulares em pequenos pedaços que podem ser usados pela planta.

Esses sucos digestivos são segregados por glândulas da superfície interna da armadilha, direto em cima da presa que está nela. O inseto é banhado por esses sucos durante um período de até 12 dias, no qual o inseto é digerido e os nutrientes extraídos. A demora depende:
  • do tamanho do inseto - quanto maior ele é, mais tempo demora para ser digerido.
  • da idade da armadilha - o fluido digestivo é reciclado após cada digestão e as armadilhas mais velhas podem segregar uma mistura um tanto mais fraca de ácidos e enzimas.
  • da temperatura - a temperatura do ambiente pode afetar a taxa de decomposição e, até certo ponto, o aumento de temperatura torna os processo enzimáticos rápidos.
O processo continua até que tudo o que sobra do inseto é seu exoesqueleto duro (ao contrário de seres humanos e outros vertebrados, que possuem um esqueleto interno rígido, os insetos e aracnídeos possuem um exoesqueleto externo mais flexível para proteger e para formar a estrutura de seus corpos). Assim que os nutrientes são retirados do banho ácido, a planta reabsorve o fluido digestivo. Isso serve de sinal para a reabertura da armadilha, e os restos do inseto são normalmente lavados pela chuva ou levados pelo vento.


* Ann Meeker-O'Connell.  "HowStuffWorks - Como funciona a planta carnívora dionéia".  Publicado em 12 de janeiro de 2001  (atualizado em 22 de janeiro de 2008) http://ciencia.hsw.uol.com.br/planta-carnivora-dioneia4.htm  (16 de julho de 2013)

3 comentários:

  1. Muito bom!!! Eu adoro as plantas carnivoras

    ResponderExcluir
  2. Ola, eu devo retirar a carcaça da mosca com uma pinça ou devo deixar a carcaça na planta depois q ela se abre e digere o inseto? Obrigado

    ResponderExcluir
  3. Ola, eu devo retirar a carcaça da mosca com uma pinça ou devo deixar a carcaça na planta depois q ela se abre e digere o inseto? Obrigado

    ResponderExcluir